samedi 7 juin 2008

Linguas estrangeiras

Esta é a historia de uma mae, um filho e um médico. Um médico nao, perdao, um professor de medicina.
A mae esta ha muitos anos em Paris e pensava que falava francês. O filho é pequeno para a idade. Nada muito flagrante mas a maioria dos meninos, e nao so dos meninos, quer-se alinhar com a maioria, ao menos pelo tamanho. Como a maioria das maes também quer que seus filhos estejam - ao menos - alinhados com a média, desde bebê ele é acompanhado por uma endocrinologista que o pesa e mede de seis em seis meses, num dos principais hospitais especializados em pediatria no centro de Paris. E constatou-se até agora que esta tudo normal, ou seja, trata-se de uma criança que sera um adulto de baixa estatura. Sem problemas.
Ocorre que tem mae que é louca, todo mundo sabe disso. Louca pelos filhos, até ai nada demais. Mas... a amiga, a mae do amigo do filho, a tia dela, todo mundo da palpite sobre a estatura do menino e a louca da mae aceita todos:
-Mas como, esse menino so tem 1,50? E você nao toma uma providência?
- Conheço um médico que...
- O filho de ... era pequenininho, mirradinho... e olha, tomou hormônio receitado pelo doutor fulano e hoje esta um rapaz lindo, alto...
- Você vai deixar seu filho nessa situaçao?
Os filhos de todas as amigas ja têm quase 1, 70. O conselho amical decide que é preciso que o menino tome o hormonio do crescimento para ficar alto, bonito e charmoso, confiante em si e pronto para a vida enfim. A mae nao aprecia Clint Eastwood? Moço, velho, velhissimo? A mae aprecia. Muito.
Mas ha também a turma contra o hormônio. Pode provocar câncer de intestino quando ele for adulto... nao esta testado... pode provocar alteraçoes no corpo... O pai é contra, cada um tem o tamanho que tem, ora essa ... pra que mexer no que esta bom do jeito que ta? A mae se lembra dos baixinhos charmosos, seus amigos de juventude Cesar Saade e Fernando de Suely em Niteroi, Paulinho do Edson de Manhuaçu, seu compadre Jorgedu de Cecilia, Andy Garcia, Dusty Hofman, o rei Pacino... se lembra da historia do nariz da mae do diabo... Resolve resolver a questao na proxima consulta.
A médica faz o exame semestral e constata, a partir da radiografia da mao da criança e de seu historico, que sua idade ossea é inferior à idade cronologica e que ha espaço para muito crescimento. Mas, seu crescimento é normal. A mae insiste no hormônio. A médica responde que dado que nao ha nenhuma anomalia , a Seguridade Social nao autorizara o tratamento, que é muito caro e reservado aos que têm problemas. Mas que a mae consulte o Professor, o chefe da equipe pois so ele podera autorizar um tratamento nessas condiçoes. A mae quer saber se é perigoso pois no Brasil é um tratamento corrente. Qual é a opiniao médica da médica? Ela responde que em sua opiniao nao fara mal mas que a mae consulte o Professor.
A mae telefona para marcar a consulta com o Professor. No hospital, so ha consulta para setembro mas ele da consultas particulares no proprio hospital, num outro horario. E com outro preço: 100 euros, contra no maximo 42 da consulta no hospital. Mas a atendente diz que o menino esta entrando na puberdade, nao se pode esperar três meses. A mae marca a consulta particular para a semana seguinte.
A sala de espera esta cheia. A mae se sente meio mal. Todas as outras crianças têm problemas evidentes. Muito evidentes. Filho e mae conversam animadamente em voz baixa, aproveitando a possibilidade rara em Paris de estarem juntos sem estarem deixando de fazer nada.
O médico vem chama-los e os introduz na sala de consulta. Um homem entre 52 e 60 anos, muito bem tratado, a pele lisissima, moreno como um mediterrâneo, grandes olhos vivos. Belo homem. Mais pra baixo. Por qualquer misteriosa razao a maioria dos endocrinologistas que a mae conhece é constituida por homens mais pra baixos.
O médico sorri lindamente - belo sorriso de belos dentes alvos - e pede licença à mae para examinar o sexo do filho e ver a puberdade. Faz uma piadinha boba com o menino, tentando pô-lo à vontade, constata que a puberdade começou. Volta e folheia o dossier. Segue-se entao o seguinte dialogo:
- Que altura tem a senhora? (se bem que essa informaçao esteja no dossier)
- 1,57m
- E o pai do menino?
- 1, 79m
- Meus parabéns!
- O quê? Como assim?
- Ha uma diferença de 22 cm entre a senhora e seu marido.
- ?....?
- Normalmente a diferença maxima de altura entre os casais é de, no maximo, 15 cm. As pessoas procuram alinhar-se. No seu caso, o casal constituiu-se a partir de outros critérios. Parabéns!
-????....
Sorriso imbecil no rosto da mae. O médico estara brincando? Ele nao para de sorrir.
- Com que idade a senhora menstruou pela primeira vez?
- Euh ... com 11 anos.... acho eu...
- Cedo, muito cedo!!!
- Nao, doutor, no Brasil é essa a idade normal...
- Nao senhora, no Brasil a idade normal é de 12 anos e 3 meses, ah, ah, ah!!!
- Ah, entao eu menstruiei com 12 anos, lembro-me de ter menstruado exatamente na época normal, nem antes nem depois...
- Ahahah! As pessoas estao habituadas a ir a médicos. Quando se vêem frente a frente com um professor ficam desconcertadas e nao sabem o que dizer. Um professor sabe tudo! Da França, da Russia, do Japao, do Brasil. Tudo! Eu sei tudo! No Brasil as meninas têm a primeira menstruaçao aos 12 anos e 3 meses, hahaha!!!
Ele estara brincando? A mae nao sabe o que pensar. Os franceses adoram ironias e auto-ironias. Por que sera que ela tem a impressao de que ele fala sério?
O Professor poe-se a ler o diagnostico que vai escrevendo no dossier: desenvolvimento normal, nenhum tratamento a iniciar, proxima consulta daqui a seis meses.
- Doutor, entao meu filho nao tomara o hormonio do crescimento?
- Minha senhora, primeiro eu escrevo o meu diagnostico. Depois a senhora diz o que a senhora prescreve que, de qualquer jeito, nao tem a menor importância.
A mae pensa que a polidez do médico é que nao tem a menor importância e que ela esta la para ouvir sua posiçao cientifica a respeito do caso de seu filho. Espera pacientemente que ele termine. Quando ele levanta o olhar em sua direçao ela retoma:
- Professor, eu queria ...
- Esta encerrado, minha senhora. A senhora ouviu bem: nenhum tratamento. Boa tarde. Vou vê-lo de novo daqui a seis meses. Se houver alguma anomalia reveremos o caso. Atualmente é normal. Boa tarde.
Ele estende à mae o recibo da consulta.
- Professor, eu queria lhe perguntar ...
- Minha senhora, ao fim de seu crescimento seu filho tera em torno de 1,70. Eu sou Professor. Eu recebo crianças de toda a Europa. Vêm crianças de toda a parte, até da Russia para se consultar comigo. A Seguridade Social so paga tratamentos para crianças que terao apenas 1,60. Como sou magnânimo e acho que 1,60 é pouco, atendo também aqueles que terao no maximo 1,62. Mas corro riscos por isso. Eu infrinjo a lei de meu pais.
A mae pensa que essa foi dose. Esse "meu pais, ô sua meteque", doeu na mae. Mas mae é mae e ela insiste.
- Doutor ( ponha seu titulo de Professor la onde estou pensando), no Brasil muitos médicos receitam hormonio de crescimento a meninos no mesmo caso de meu filho e eu queria saber...
- Estou-lhe dizendo, minha senhora, que a Seguridade Social nao paga!
O sorriso de muitos dentes desapareceu.
- ... sua opiniao, quer dizer, sua posiçao cientifica a respeito...
- A Seguridade Social nao paga, minha senhora! Eu correria o risco de ser preso! E contra as leis de meu pais!
Ele esta fazendo de proposito, nao é possivel...
- Doutor, o senhor é contra o uso do hormônio de crescimento?
- A Seguridade Social nao paga!!!
Ele esta em pé, perto da porta. A mae continua sentada diante da mesa, o mais calmamente possivel, a bolsa aberta sobre os joelhos. O filho em pânico ao lado, sem saber para onde olhar.
- Doutor, eu queria sua opiniao médica sobre o hormonio. ( a mae frisou o "médica")
- Minha senhora, eu so posso lhe dar uma opiniao médica, eu nao sou florista.
- Doutor, o senhor até agora esta falando como gestor, nao como médico! Qual é sua opiniao cientifica? O hormônio fara mal a meu filho?
- Eu nao estou falando como gestor, estou dizendo que a Seguridade Social nao paga porque seu filho tera uma altura considerada normal. Atualmente, sobre 500 000 crianças de 13 anos na França, 100 000 têm a estatura de seu filho e têm a mesma expectativa de crescimento que ele. Um quinto de sua faixa etaria, minha senhora. E uma populaçao imensa, a senhora compreende? A Seguridade Social nao paga e nao pode pagar.
- Mas o hormonio fara mal a meu filho?
- Minha senhora, na França isso é um crime, a senhora esta me pedindo que cometa um crime! A Seguridade Social nao paga!
- Doutor, se eu achasse um médico nos Estados Unidos que se propusesse a dar hormônio a meu filho o senhor desaconselharia?
- Minha senhora, nos Estados Unidos as maes dao hormônio do crescimento a crianças perfeitamente normais para que elas se tornem manequins. Mas, na França, a Seguridade Social nao paga.
- Bem, Doutor, se eu achasse esse médico o que o senhor acharia?
- Minha senhora, se a senhora achar esse médico, nos Estados Unidos, no Brasil ( na pqp , pensou ele) fuja dele!
A mae nao acredita que finalmente conseguiu uma meia resposta a sua pergunta.
- Obrigada, Doutor, essa é a resposta a minha pergunta.
O médico esta parado diante da porta aberta. A mae esta sentada preenchendo o cheque.
- Minha senhora, a senhora dê o cheque a minha secretaria. Eu nao recebo cheques.
- Desculpe, doutor, como o senhor me deu o recibo, pensei que estaria esperando o cheque.
A mae se levanta. O professor lhe estende meia mao mole. Nenhum sorriso. A mae , ao contrario, oferece-lhe seu sorriso numero 8 , tipo " senhora discreta e bem educada dirigindo-se a profissional de modo formal e impessoal". O filho cumprimenta o professor de modo particular:
- Boa tarde, sua caneta é muito bonita.
- Oh, é apenas uma caneta normal, que vaza um pouco... E uma Montblanc...
A mae esta preenchendo o cheque quando ouve o médico que se dirige à sala cheia:
- Senhoras e senhores, queiram desculpar meu atraso. Na verdade ha pessoas que falam demais, que acham que têm de criar caso por causa de dois centimetros. Queiram desculpar.
Pano rapido.

7 commentaires:

Clara Lopez a dit…

caramba, eliana, esse médico não sabia quem estava na agenda dele, pois não? :) que coisa esquisita, por que não responde de uma vez se o hormônio faz mal ou não, que zé mané! imagino que vc marcou o dia do sujeito, bem feito! e imagino a meia angústia do menino, eu acharia que o médico ia estapear essa mãe :)
beijo, querida,
clara lopez

Eliana BR a dit…

Querida Clara,

Ha casos por aqui que sao um prato feito prum estudo antropologico, como podemos demonstrar.
O poder de um "Professeur" é enorme por aqui. So a França poderia ter dado um Foucault e um Barthes, por exemplo. Minina a América nao se chama "Novo Mundo" apenas porque foi criada
pelos eurpeus nao. Mas a madrugada vem nascendo e essa sera uma outra historia.
Bises,
Eliana

Jonga Olivieri a dit…

O caso é escabroso. Aliás, lembro-me de quando morei em Portugal, o quanto temia alguns diagnósticos. Ainda bem que não tive nada de grave por lá.
A medicina européia tem lá suas "mazelas". Creio que a nossa é mais avançada. Vide a dentária!
O problema no Brasil também é o acesso aos "professores", pois, grande parte dos "medalhões" nem se dignam a entrar para planos de saúde. Planos esses que viraram um "INSS particular". As filas são homéricas... o atendimento sofrível.
A vantagem da medicina aí na Europa é o fato de ser pública. E, na média, pelo menos atende às necessidades. Podem existir casos como este, mas, creio, em sua maioria (em França) devem ter bons "doutores", sem precisar de acessar os "professores".
O Ronaldo, por exemplo, até onde tenho conhecimento, foi bem assistido na sua operação e tratamentos. Ou será que aí também entraram os "professores" e os pagamentos extras?
Mas, o pior está por vir. Querem (e vão acabar conseguindo) privatizar a medicina no "velho mundo". Isto ´eum cancro ianque, um modelo desumano e temendamente exclusivista.
Sinal dos tempos...

Anonyme a dit…

Jonga,
A Seguridade Social aqui realmente funciona isso la é verdade. Ocorre que a vaidade dos "Professeurs" nao tem tamanho. E, ao lado dela,o medo quase paranoico do abuso. Atualmente ha toda uma propaganda contra os que presumivelmente "abusariam" da Seguridade. E, consequentemente, um amalgama entre diagnostico médico e diagnostico econômico. As vezes penso que o Brasil ja viu esse filme. Mas talvez eu esteja enganada.
Um beijo,
Eliana

Clara Lopez a dit…

Jonga, não sei se foi de propósito mas não aparece seu blog ou site no link do seu nome, pensei em fazer uma visita, mas...
abr,
clara lopez

jonga a dit…

Clara, meus blogues são o Pensatas, um blogue cujo endereço é: http://jongas.blogspot.com/ e é uma publicação mais preocupada com o mundo atual, com algumas variações, um blogue que também segue o meu "estado de espírito". E o "Casos" da Propaganda: http://jongaoliva.blogspot.com/, este basicamente contando histórias do mundo da publicidade.
Seja bem vinda. Vou também visitar o seu.

circe a dit…

Eliane querida

Estou adorando, mas até agora só li até o " Professor" e tive vontade de esganá-lo. Mas, de cara, já adorei tudo. Concordo com alguém ( uma tia sua? ) que reclamou de legenda nas fotos. É sempre bom.. Minhas recordações de Paris são poucas, mas muito boas. Eu andava com uma mochilinha onde carregava minhas comidinhas compradas no mercado. Leite ( cx de 250gr.), pão integral, mortadela de frango ( ou peru?) queijo e yogurte- e uma toalhinha bordada. Na rua comprava muitas frutas. Viajei assim por 11 países, sozinha, aos 62 anos de idade. Não gosto de ajuntamento de mulher e prefiro escolher meus itinerários sozinha, sem discussões. Foi muito bom. Meu dinheiro não dava para sentar num restaurante e quando tinha fome, estendia meu paninho no chão seja lá de onde fosse ( no gramado de um belo parque em Copenhagen, sob uma frondosa árvore, tendo à minha frente um lago cheio de patinhos, a quem uma velha senhora dava migalhas de pão ou seja lá o que fosse, comi na paz de Deus e depois tirei uma bela soneca )Comer sentada às margens do Sena, observando tudo à minha volta, em silêncio ...Não sei como se chama aquela parte onde vc desce da calçada e fica mais próxima das águas do rio...Encantamento total, mas fiquei furibunda quando resolvi pedir um cafezinho numa esquina e eles me cobraram uma nota por um pequeno "dedal" de café, que se foi num gole só. E o resto, ficou perguntando minha boca ? Uma grana preta para aquela titiquinha de café! Andei muito pelas ruas, visitei os museus, andei pra lá e pra cá de metrô, mas, realmente o momento de maior emoção foi em Notre Dame. Havia lido que às tantas horas haveria uma missa cantada - um concerto - e resolvi assistir. A igreja lotada, fiquei lá na frente, de pé, numa das laterais. A beleza da construção , dos vitrais, já me deixaram emocionada - e quando aqueles homens chegaram, com seus hábitos brancos com aquela enorme cruz verde e começaram a cantar um belo canto gregoriano, fiquei em estado de êxtase. Então, um deles, bem mais jovem e com uma belíssima voz, chegou mais à frente e começou a solar. E eu chorei e chorei de pura emoção com tanta beleza à minha volta. Confesso que não subi na Torre Eiffel. Havia uma fila tipo Fla X Flu no "Maracanã"; olhei, olhei...olhei pra cima, vi bem como era e pensei: a vista não pode ser mais bonita do que o Pão de Açúcar ou o Corcovado. Eu não encaro essa fila nem morta, e fui embora, sem dó nem piedade. Pois é, amiga, vou vir sempre aqui visitar teu blog para conhecer o que não conheci e lembrar o que vi e gostei tanto. Paris foi, realmente uma festa de emoções para mim. Parabéns mais uma vez

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Interior de Saint Julien le Pauvre

Interior de Saint Julien le Pauvre

Marion e a igreja de Saint Julien le Pauvre

Marion e a igreja de Saint Julien le Pauvre

Barcelona

Barcelona

Barcelona

Barcelona

Museu da Catalunha

Museu da Catalunha

A arvore mais velha de Paris.Jardim de Saint Julien le Pauvre

A arvore mais velha de Paris.Jardim de Saint Julien le Pauvre

Jardim da igreja de Saint Julien le Pauvre

Jardim da igreja de Saint Julien le Pauvre

Igreja da Madeleine

Igreja da Madeleine

Das escadas da Madeleine. Ao fundo, a place Vendôme

Das escadas da Madeleine. Ao fundo, a place Vendôme

Barcelona- Gracia

Barcelona- Gracia

Rue de Bucci

Rue de Bucci

Barcelona

Barcelona

Charitas forever

Charitas forever
Foto de Elias Francioni

Passage Saint Andre des Arts

Passage Saint Andre des Arts

Cartão-postal

Cartão-postal
Foto de Vera Bungarten

Paris...

Paris...
Foto de Vera Bungarten

No centro do Louvre

No centro do Louvre
Foto de Vera Bungarten

Passages de Paris

Passages de Paris
Foto de Vera Bungarten

Livraria Shakeaspeare.Quartier Latin

Livraria Shakeaspeare.Quartier Latin
Foto de Ana Maria Lucena

Quartier Latin

Quartier Latin
50 anos de Ionesco

Tonico Pereira. Teatro da FAAP

Tonico Pereira. Teatro da FAAP

Le Petit Pont e l'Hôtel de Police

Le Petit Pont e l'Hôtel de Police

Feliz Ano Novo ( foto de Patrick Corneau)

Feliz Ano Novo ( foto de Patrick Corneau)
Dança, a esperança equilibrista porque o show de todo artista tem de continuar.

Ilha da Boa Viagem

Ilha da Boa Viagem
Foto de Elias Francioni

Rue de la Huchette. Quartier Latin

Rue de la Huchette. Quartier Latin

Xando Graça

Xando Graça

Pont Saint Michel

Pont Saint Michel

Les Invalides

Les Invalides
Foto de Vera Bungarten

A dama de ferro

A dama de ferro
foto de Ana Lucena

A côté du Beaubourg

A côté du Beaubourg
Foto de Vera Bungarten

Chez Procope

Chez Procope

Igreja de Saint Séverin

Igreja de Saint Séverin

Angulo da igreja de Saint Séverin. Quartier Latin

Angulo da igreja de Saint Séverin. Quartier Latin
(foto Ana Maria Lucena)

Detalhe da Catedral de Notre Dame

Detalhe da Catedral de Notre Dame

Bassin Igor Stravinsk (ao lado do Beaubourg)

Bassin Igor Stravinsk (ao lado do Beaubourg)
Foto de Vera Bungarten

Liceu Henri IV

Liceu Henri IV
foto de Maria do Rosario

Liceu Henri IV. Ao fundo, o Panthéon

Liceu Henri IV. Ao fundo, o Panthéon
foto de Maria do Rosario

Liceu Henri IV

Liceu Henri IV
foto de Maria do Rosario

Liceu Henri IV

Liceu Henri IV
foto de Maria do Rosario

Jardin du Luxembourg

Jardin du Luxembourg

Espetaculo de mimica

Espetaculo de mimica
Jardin du Luxembourg

Rive Gauche

Rive Gauche

Barcelona Arco do Triunfo

Barcelona Arco do Triunfo

Museu de Zoologia e Historia Natural

Museu de Zoologia e Historia Natural

Jardin du Luxembourg

Jardin du Luxembourg
O despertar da primavera