mardi 11 novembre 2008

La nas campinas

Como a maioria, a casa tinha sala de jantar. So as mais ricas tinham também sala de estar, com poltronas. Na sala de jantar havia a mesa com as cadeiras. Dois moveis baixos onde se guardavam toalhas, guardanapos, a louça dos dias de festa e os talheres nas gavetas. Uma cristaleira onde ficavam os copos ( que nao eram de cristal), a licoreira com os copinhos, a jarra de refresco com seus copos altos, a compoteira. O radio. O piano. E duas estantes de livros, duas carteiras de escola para as crianças fazerem os deveres, uma cadeira de balanço e o telefone.

Na parede principal, de frente para a porta de entrada, havia o Coraçao de Jesus e o Coraçao de Maria. Reproduçoes em papel com bela moldura de madeira. Imagens de frente, com fundo claro, nas quais as figuras, de busto, pareciam olhar diretamente o observador. Todo mundo , todo o mundo conhecido tinha o Coraçao de Jesus e o Coraçao de Maria na sala. As imagens variavam mas havia um codigo secreto: as figuras estavam sempre de frente sobre fundo claro e a representaçao era neutra, quer dizer, as figuras nem sorriam nem tinham olhar triste. Seu olhar era direto.
Havia casas em que a imagem era outra, sempre a mesma: Jesus na montanha, meditava, olhando o vale. O fundo do quadro era sombrio, mostrando um crepusculo. Ao longe parecia armar-se uma tempestade. Jesus, mostrado de corpo inteiro, trajava uma tunica branca, e sentava-se sobre uma pedra. Sua expressao era melancolica. O conjunto era sentimental. Os donos dessas casas eram espiritas. Por qualquer misteriosa razao o tipo de estampa religiosa funcionava como um codigo: o catolico, dizia minha mae, nao é sentimental. Nessas casas também nao havia o Coraçao de Maria.

Nao se punham de qualquer jeito esses quadros na parede. Era preciso a cerimônia da entronizaçao. Quando uma pessoa se casava, fundando um novo lar ou quando simplesmente mudava de casa, vinha o padre para promover a entronizaçao dos Coraçoes de Jesus e de Maria. Vinham os vizinhos para a cerimônia, que consistia numa oraçao seguida pelo terço. No fim o padre benzia todo mundo e a casa, aspergia agua benta e pendurava os quadros na parede. Pronto, a casa ja estava presidida por Jesus e contava com a benevolência de Maria.

Acima da mesa de jantar ficava o quadro da Santa Ceia. O crucifixo podia ficar ou acima da porta de entrada, de frente para a sala ou ... acima da cama do casal ( segundo minha filha, para contribuir com o controle da natalidade).

No Domingo de Ramos recebiamos na igreja as palmas que guardavamos o ano todo. Durante as tempestades cobriamos todos os espelhos ( que nao eram muitos) e queimavamos um ramo.

Por duas vezes Nossa Senhora de Fatima foi nos visitar. Nao em pessoa pois nao éramos idolatras. Em representaçao. Tratava-se de uma imagem quase do tamanho de uma pessoa, que teria vindo de Portugal e estaria dando a volta ao mundo. Deve ter-se perdido porque la em casa ela esteve duas vezes. As familias se inscreviam na igreja para receber a visita . No dia marcado vinha uma procissao trazendo a imagem num andor. A sala ja estava preparada para recebê-la, um dos moveis tendo sido transformado em altar, forrado pela melhor colcha ou pela melhor toalha de jantar da casa. Os vizinhos traziam flores. Evitavam-se as velas por medo de incêndio. Durante a permanência da imagem havia terço em casa todos os dias à noite, com a presença dos vizinhos. A imagem ia embora também em procissao. E nao se podia falar em "Santa". Maria nao era "Santa", era Santissima. Cantavam-se os hinos: " Com minha mae estarei/ Na santa gloria um dia/ Junto à Virgem Maria/ No céu, triunfarei./ No céu, no céu/ No céu triunfarei". "Coraçao santo/Tu reinaras/ O nosso encanto/ Sempre seras./ Jesus amavel,/Jesus piedoso, /pai amoroso,/ fragua de amor! / A teus pés venho/ Se tu me deixas/ Sentidas queixas/ Humilde expor". As melodias eram em tom menor, lamurientas, sentimentais. Minha mae nao gostava. Repetia que o catolico nao é sentimental e onde se viu o coraçao de Jesus ser o encanto dos homens? Sentimentalidades. Por outro lado ela gostava do Hino de um Congresso Eucaristico que se tinha realizado no Rio. Bem alegre, melodia viva, convidativa em letra e musica: " De todo canto/ Vinde, correi!/ Foi posta a mesa/ De nosso rei./ Do céu desceu a chuva/ Da terra nasceu o grao/ A vinha deu a uva/ Do trigo fez-se o pao". Minha mae nao acreditava em sentimentos, acreditava em ações.


11 commentaires:

Jonga Olivieri a dit…

Sua descrição é um retrato fiel da religiosidade de um Brasil, que, de alguma maneira, todos conhecemos. Recordo de minhas irmãs vestidas de “anjinhos” no colégio de freira em que estudavam. Da minha primeira comunhão. De centenas de velas acesas naquela igreja perto do Túnel Novo, em direção a Copacabana. E daquele domingo, fim de tarde, calorento... um melancólico pôr-do-sol, procissão nas ruas, quando morei no interior...
Diametralmente oposta, mas qualquer forma uma demonstração da força desta metalinguagem, lembrei da famosa frase de Luis Buñuel: “Graças a deus eu não acredito em deus”, que, aliás, em seu surrealismo consegue uma síntese conclusiva do “submundo latino”.

Anonyme a dit…

Voce descreve com perfeição de onde voce vem, querida, e de onde vem o amor a graciliano, já estava tudo dado pela mãe, né não? De todo modo, suas lembranças são bonitas, saudáveis, a gente percebe que há afeto, embora não sentimentalismo, no seu relembrar, é legal isso. Claro que tenho também uma história de religião na infância e pré-adolescência, mas ela não é sem crises e confusões internas.
um beijo,
clara lopez

Lígia a dit…

Amei o espaço.
Volto sempre!

Jonga Olivieri a dit…

Muito interessante o comentário de Clara Lopez. Há no seu texto, Eliana, uma dose evidente de sentimento... um sentimento que vem do fundo de si e que nos envolve por completo.
Não é à toa que é uma conhecedora da língua portuguesa, mas, para além disso, para além do estilo, vê-se sinceridade em sua postagem.
Dá gosto ler um texto assim!

Leila Silva a dit…

Muito bacana o seu blog...e que saudade me deu desta cidade.
Abraço

Eliana BR a dit…

Jonga,
Um dia pensei que nao posso ficar chateando meus filhos contando coisas. E no entanto sao coisas que nao queria que se perdessem...
Bises,
Eliana

Eliana BR a dit…

Clarita querida,
Nunca tinha pensado na relaçao entre Graciliano e minha mae... Quem sabe você tem razao?
A literatura é um oficio muito doido mesmo, nao?
Beijos,
Eliana

Eliana BR a dit…

Ola Ligia,
Obrigada pela visita e pelo elogio. E um grande prazer ter leitores que nao se conhece pessoalmente. E saber que eles voltam entao... Por outro lado, acho que nos "conhecemos" de um outro blog, o de Kovacs, nao?
Um abraço e até mais,
Eliana

Eliana BR a dit…

Oi, Leila,
Muito obrigada também pela visita e pelo elogio ao blog.
De fato esta cidade é linda. E literaria. Provoca a escrita. Nos também nos "conhecemos" de outro blog, creio que do blog de Jonga, nao?
Espero que você volte outras vezes.
Um abraço,
Eliana

nomadismocelular a dit…

Eliana, ma belle.
Tô gostando de ver e ler seu caderno de Paris. É um caderno Graciliano. Belo.
E passa lá no http://nomadismocelularwordpress.com, que você vai gostar de ler o PDF em inglês ou em português de um escritor americano que discute o celular no espaço público, este em franco declínio.
Bisous a você a Ronaldo e às crianças,

Mari-Jô Zilveti

Eliana BR a dit…

Oi Mari-Jo,
Prazer em vê-la por aqui.
Imagine você que desde ontem estou no nomadismo celular lendo exatamente esse texto... que devo terminar hoje.
Um beijo,
Eliana

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Capa de Ronaldo Graça

Interior de Saint Julien le Pauvre

Interior de Saint Julien le Pauvre

Marion e a igreja de Saint Julien le Pauvre

Marion e a igreja de Saint Julien le Pauvre

Barcelona

Barcelona

Barcelona

Barcelona

Museu da Catalunha

Museu da Catalunha

A arvore mais velha de Paris.Jardim de Saint Julien le Pauvre

A arvore mais velha de Paris.Jardim de Saint Julien le Pauvre

Jardim da igreja de Saint Julien le Pauvre

Jardim da igreja de Saint Julien le Pauvre

Igreja da Madeleine

Igreja da Madeleine

Das escadas da Madeleine. Ao fundo, a place Vendôme

Das escadas da Madeleine. Ao fundo, a place Vendôme

Barcelona- Gracia

Barcelona- Gracia

Rue de Bucci

Rue de Bucci

Barcelona

Barcelona

Charitas forever

Charitas forever
Foto de Elias Francioni

Passage Saint Andre des Arts

Passage Saint Andre des Arts

Cartão-postal

Cartão-postal
Foto de Vera Bungarten

Paris...

Paris...
Foto de Vera Bungarten

No centro do Louvre

No centro do Louvre
Foto de Vera Bungarten

Passages de Paris

Passages de Paris
Foto de Vera Bungarten

Livraria Shakeaspeare.Quartier Latin

Livraria Shakeaspeare.Quartier Latin
Foto de Ana Maria Lucena

Quartier Latin

Quartier Latin
50 anos de Ionesco

Tonico Pereira. Teatro da FAAP

Tonico Pereira. Teatro da FAAP

Le Petit Pont e l'Hôtel de Police

Le Petit Pont e l'Hôtel de Police

Feliz Ano Novo ( foto de Patrick Corneau)

Feliz Ano Novo ( foto de Patrick Corneau)
Dança, a esperança equilibrista porque o show de todo artista tem de continuar.

Ilha da Boa Viagem

Ilha da Boa Viagem
Foto de Elias Francioni

Rue de la Huchette. Quartier Latin

Rue de la Huchette. Quartier Latin

Xando Graça

Xando Graça

Pont Saint Michel

Pont Saint Michel

Les Invalides

Les Invalides
Foto de Vera Bungarten

A dama de ferro

A dama de ferro
foto de Ana Lucena

A côté du Beaubourg

A côté du Beaubourg
Foto de Vera Bungarten

Chez Procope

Chez Procope

Igreja de Saint Séverin

Igreja de Saint Séverin

Angulo da igreja de Saint Séverin. Quartier Latin

Angulo da igreja de Saint Séverin. Quartier Latin
(foto Ana Maria Lucena)

Detalhe da Catedral de Notre Dame

Detalhe da Catedral de Notre Dame

Bassin Igor Stravinsk (ao lado do Beaubourg)

Bassin Igor Stravinsk (ao lado do Beaubourg)
Foto de Vera Bungarten

Liceu Henri IV

Liceu Henri IV
foto de Maria do Rosario

Liceu Henri IV. Ao fundo, o Panthéon

Liceu Henri IV. Ao fundo, o Panthéon
foto de Maria do Rosario

Liceu Henri IV

Liceu Henri IV
foto de Maria do Rosario

Liceu Henri IV

Liceu Henri IV
foto de Maria do Rosario

Jardin du Luxembourg

Jardin du Luxembourg

Espetaculo de mimica

Espetaculo de mimica
Jardin du Luxembourg

Rive Gauche

Rive Gauche

Barcelona Arco do Triunfo

Barcelona Arco do Triunfo

Museu de Zoologia e Historia Natural

Museu de Zoologia e Historia Natural

Jardin du Luxembourg

Jardin du Luxembourg
O despertar da primavera